Estrias e traumas de mulher

Bom dia! Por aqui está um fantástico (surpreendente) dia de sol…mas o que é isto?? O tempo anda louco, só pode!

Hoje, deixo-vos uma foto do meu almoço, já prontinho na marmita para ser devorado daqui a umas horas. São almôndegas de soja, também receita da mãe 🙂 (foi só mimos no fds). O almoço inclui ainda uma sopa, claro!

almôndegas de soja estufadas com massa integral

Agora vou falar um bocadinho do que prometi ontem. O peito.

Este trauma começou bem antes de emagrecer ou até dos quilos a mais. O meu peito cresceu bastante rápido na adolescência, sem razão aparente. Escusado será dizer que tinha imensa vergonha, fartava-me de chorar, não conseguia escolher um soutien que gostasse (tinham que ser aqueles de adulto)…enfim, é para esquecer! Nunca fui rapariga de grandes traumas, muito menos de falta de auto-estima ou segurança, mas com o peito as coisas sempre foram assim, nunca me senti bem, durante muitos anos não queria despir-me à frente de ninguém, nem usar bikini sequer! Os meus amigos, no geral, nunca se apercebiam que eu me deixava afectar por isso e acabavam por brincar com o tamanho do meu peito, o que me deixava ainda pior. Quando emagreci, logo nos primeiros 10kg, o meu peito reduziu imenso. Fiquei felicíssima! Quando cheguei aos 60kg, o tamanho era normal, mas já estava descaído e com algumas estrias. Tentei ignorar o assunto e aproveitar ao máximo o meu peso novo e os elogios que iam surgindo. Agora com 52kg, o mais grave é mesmo o peito, não consigo sequer descrever o que aconteceu.

Como este assunto me afecta demasiado, meti na cabeça que tinha mesmo que fazer alguma coisa para o resolver. Não posso continuar a viver com o trauma de não usar um decote, de não me sentir bem na praia, apesar de toda a gente me dizer que tenho um corpo invejável (considerando o peso que já tive), de olhar para outras pessoas e perceber que este não é um problema tão frequente assim. As estrias aumentaram, o peito ficou pequeno que tem uma quantidade grande de pele vazia…enfim, um desastre mesmo! Se usar um vestido, as estrias são visíveis na zona debaixo do braço e no decote. A pele está tão danificada que não parece pele.

Recentemente, decidi que vou recorrer a cirurgia para solucionar o problema. Vocês não me conhecem, mas eu sou uma medricas de primeira, desmaio mal vejo uma agulha e vai-me custar mesmo muito sujeitar-me a algo deste género por uma questão estética. No entanto, acho que não se justifica sentir-me assim aos 25 anos e sinto que estou a tempo de fazer alguma coisa para mudar isto em mim, depois de tanta luta pelo meu corpo!

Neste momento, recorri a umas sessões de Carboxiterapia. Eu sempre fui contra estes tratamentos, podem ser muito prejudiciais…mas o desespero falou mais alto e depois de muito me aconselhar, decidi testar. Fiz 5 sessões até agora e o resultado é mesmo muito bom! Em zonas com poucas estrias o resultado é imediato, ela fez-me numa única estria que eu tinha visível na anca e nunca mais a vi… A minha intenção é melhorar a qualidade da pele antes da cirurgia e enquanto procuro o melhor cirurgião e me informo devidamente. Tenho muito medo que corra mal.

Também estou a usar este creme:

O preço médio dos produtos desta marca é 70€ mas é mesmo muito bom, a pele fica espectacular na zona toda do peito, é tão hidratante que no banho do dia seguinte ainda sinto o creme todo. Quando juntar mais algum € também vou comprar este, faz efeito de soutien invisível, experimentei no verão a amostra e é fantástico:

Um outro aspecto que também é fundamental nas mulheres e que muitas vezes não damos a devida atenção é o soutien. Um bom soutien e ajustado ao nosso tipo de peito, muda totalmente o aspecto do mesmo! Eu continuo a ter alguma dificuldade em encontrar soutien, por exemplo, os push up da Intimissimi não dão para mim porque eles têm apenas por tamanhos 34, 36… Um 36 fica-me larguíssimo mas a copa fica bem e com um 34 a mesma coisa, a copa aperta mas à volta do peito fica bem.

Vocês seriam capazes de recorrer a cirurgia? Alguém passa pelo mesmo com o peito? Têm alguma outra sugestão?

Até logo,